Precificação: entenda as formas mais utilizadas pelas agências e o que isso significa para o seu bolso

Se o seu negócio é ajudar empresas por meio dos serviços oferecidos por uma agência de Marketing ou Comunicação, talvez a dúvida acerca da forma de precificar seus serviços faça parte da sua rotina.

 

Precisando de conteúdo para seu site/blog?

RedaWeb

Vamos tentar ser bem objetivos quanto às formas existentes e qual o modelo adequado de precificação de serviços.

Precificação por custo

Esse é o modelo mais antigo, ligado à indústria, vigente desde as lonjuras do século XVIII, mas, ao contrário do que possa parecer, continua sendo indispensável.

Esse modelo é aquele que soma todo o custo envolvido na produção e da entrega do serviço. Com base nesse custo, a agência estabelece a margem e monta o preço.

Por exemplo:

Custo = R$ 120
Margem desejada = 50%
Preço final = R$ 180,00.

Simples, não é?

Sim, mas nem tanto, porque o cliente pode achar que esse preço está caro, a concorrência pode praticar valores bem abaixo e tudo isso comprometerá sua margem.

Muitas vezes, tentando concorrer por preço, você reduz tanto a sua margem que o negócio se torna inviável.

Precificação por pacote

A precificação por pacote leva em consideração o tempo de trabalho e os custos envolvidos para estabelecer pacotes fechados de serviço.

Não deixa de ser uma alternativa, mas também pode ser suscetível à pressão por preço. Sem contar que sempre será necessário adaptar os pacotes ao pedido de cada cliente.

Precificação por tempo

Esse tipo de precificação tem uma característica importante, que é permitir à agência trabalhar com uma perspectiva de ganhos mais sólida.

Em outras palavras, a empresa tem um custo fixo e custos variáveis relacionados a cada serviço. É possível saber quantas horas de serviço serão necessárias para a empresa pagar as contas e atingir a meta de faturamento.

Assim, é possível estabelecer quantas horas trabalhadas serão necessárias para atingir cada objetivo.

Precificação por proposta de valor

Quando falamos em precificação por proposta de valor, levamos em conta todos os modelos acima.

No entanto, após cruzar todos os modelos acima, a agência deve adotar um quarto critério para definir o preço, que é o valor percebido pelo cliente.

O que é o valor percebido pelo cliente?

É como ele enxerga a nossa oferta sob a perspectiva dos benefícios tangíveis e intangíveis que ela tem a entregar.

Sendo assim, nossa tarefa é buscar criar diferenciais competitivos, inovar, caprichar no atendimento e realizar grandes trabalhos. Os trabalhos anteriores são o grande cartão de visitas.

Invista em identidade visual, branding, design, atendimento e construção de autoridade. Entregar ao seu público conteúdos relevantes, profundos e esclarecedores pode ser uma forma de criar uma imagem de que sua agência é capaz de solucionar os problemas.

Se ele tiver a expectativa de que vai resolver seus problemas e atingir suas metas, vai formar a visão de valor com base nos seus próprios resultados e não no custo da solução.

Gostou do artigo? Ele foi produzido pela RedaWeb. Conteúdo é o nosso negócio. Venha conversar conosco pelo site ou pelo 0800 750 5564.

2018-08-22T16:22:54+00:00 agosto, 2018|Categories: Tendências de Mercado|Comentários desativados em Precificação: entenda as formas mais utilizadas pelas agências e o que isso significa para o seu bolso