3 hábitos que me fizeram falhar como produtor de conteúdo

Quando resolvi estruturar meu blog sobre negócios, tinha noção exata de qual era o público que desejava atingir. A ideia era ser produtor de conteúdo para pequenos empreendedores, microempresários e pessoas que pensavam em abrir negócios.

Precisando de conteúdo para seu site/blog?

RedaWeb

Ao meu conhecimento sobre o tema, agreguei extensas e aprofundadas pesquisas sobre os diversos temas que abordava no blog, tudo como manda o figurino. Tinha a preocupação de levar conteúdo relevante e verossímil aos meus leitores.

Postava novos artigos diariamente sobre marketing, finanças, logística, gestão, vendas e TI, entre outros temas relacionados à área de negócios.

O objetivo era estabelecer autoridade perante os leitores e fidelizá-los com base na qualidade do conteúdo e periodicidade claramente estabelecida, tudo, ainda, conforme manda o figurino.

A forma de divulgação que escolhi foi publicar chamadas nos meus perfis nas redes sociais, esperando que isso “viralizasse” o blog e atraísse muitos leitores.

E o SEO?

O meu primeiro erro foi não ter procurado entender corretamente a ferramenta de negócios que eu estava usando, entender os mecanismos que levam um produtor de conteúdo ao sucesso ou ao fracasso.

Muitos meses depois, os relatórios do Analytics era desanimadores. Como seria possível que um trabalho feito com tanto carinho, dedicação e qualidade não gerasse resultados?

A soberba é um péssimo hábito.

Como tudo tem cura, procurei ajuda profissional e, para meu desespero, fui informado de que, mesmo incorporando as técnicas de SEO ao meu blog, os resultados ainda demorariam, mas que eu não deveria esmorecer.

Escrevendo para mim mesmo

Eis que adotei o tal SEO e alguns meses depois o Analytics começou a me sorrir, com o aumento do número de acessos.

Agora eu tinha um conteúdo de qualidade e uma boa visibilidade nos mecanismos de busca. Estava desfraldado o caminho do sucesso para o meu blog.

Estava?

Com o tempo, percebi que os leitores não interagiam. Pior, a taxa de abandono era alta e a de retenção insignificante. Meus leitores não eram leitores. Eram tão somente transeuntes digitais.

O meu conteúdo não estava agradando a maioria deles. Também, pudera… eu estava escrevendo para mim mesmo, com uma linguagem excessivamente técnica e formal, que simplesmente espantava a maior parte dos leitores, que estavam ali para buscar novos conhecimentos e não para admirar os que eu ostentava sem conseguir transmitir nada.

E a experiência do usuário?

Resolvi observar como os blogs mais bem ranqueados no Google entregavam seu conteúdo.

Aos poucos, entendi a importância de uma introdução que provoque o interesse do leitor, deixei os termos técnicos de lado, ou, quando os usava, procurava explicá-los ou fazer um link para outros conteúdos sobre o tema. Passei a adotar um tom mais leve e menos formal, como se conversasse com os leitores.

Deu certo, mas nem tanto. A taxa de retenção melhorou um pouco, as pessoas permaneciam um pouco mais no site, mas a impressão que eu tinha era de que as pessoas ainda encontravam algumas dificuldades.

Foi quando um especialista me apresentou à escaneabilidade.

Eu tinha o hábito de escrever parágrafos muito longos, usar poucos intertítulos e de abusar da não utilização de imagens e infográficos.

Por melhor que fosse a leitura, aquela simples escaneada que o leitor dava no texto já lhe tirava o ânimo.

Por fim, investi na experiência do leitor e os resultados melhoraram bastante. Surgiram até comentários elogiosos ao conteúdo.

Agora eu estava mais perto de ser um produtor de conteúdo, mas ainda faltavam algumas coisas.

Conclusão

Se você reconhece a importância do marketing de conteúdo para o seu negócio e se já leu muito sobre isso, não precisa passar por tudo que eu passei. Entregue a tarefa a quem já domina as técnicas que eu levei mais de um ano para entender.

Entre em contato com a Redaweb através do site ou do 0800 750 5564 e conheça os planos oferecidos para ajudar você a encurtar o caminho para o sucesso.

2018-04-25T10:07:46+00:00 abril, 2018|Categories: Marketing de Conteúdo|Comentários desativados em 3 hábitos que me fizeram falhar como produtor de conteúdo